Autor: Kiera Cass
Ano de Publicação: 2015
Editora: Seguinte  

Há vinte anos atrás se encerrava uma Seleção, de Maxon e America. Há vinte anos atrás não se imaginariam juntos um dia se quer como casados. Mas agora tudo era diferente! Maxon e America se apaixonaram perdidamente um pelo outro conforme o tempo. Apesar das muitas dificuldades, se casaram e cuidaram de Iléa perfeitamente e construíram uma linda família com quatro filhos. Eadlyn e Ahren são gêmeos e os primogênitos, Kaden o irmão do meio e o caçula Osten. Por questão de 7 minutos, Eadlyn era quem iria governar o país após seus pais se aposentarem. A primeira mulher no poder! Uau, quem poderia imaginar? 
Mas é claro que o povo não iria aceitar esta escolha tão fácil, afinal quem governara um país sempre fora um homem, no qual tinha uma rainha ao seu lado.


Com toda essa pressão em assumir um trono, Eadlyn cresceu em meio de livros, sempre estudando, seja em educação ou na situação do país, era como a sombra de seus pais, sempre seguindo seus passos para no futuro saber lidar com tais situações, apesar de nunca abaixar a cabeça e dizer para si mesmo que era confiante e podia lidar com tudo e com todos, ainda tinha muito medo e de uma certa forma invejava ser irmão gêmeo por não assumir o trono. Com essa fase crescimento, Eadlyn se isolou do mundo. Não conseguia se imaginar apaixonada, muito menos casada. Conhecera muitos príncipes, mas nenhum chamara sua atenção de tal forma. Era decidida e dizia que não precisava de nenhum homem para governar o país.
" -Sou Eadlyn Schreave. Nenhuma pessoa é tão poderosa quanto eu."
Seus pais estavam enfrentando certas dificuldades em relação ao país e o povo começara a se agitar e precisariam bolar um plano logo para que a situação abaixasse. Com muita relutância chegaram a um acordo: fariam uma nova Seleção. Esta proposta era favorável para ambas as partes, primeiro para o povo ter outro foco sem ser a política para Maxon resolver as coisas e para Eadlyn casar, afinal quando assumisse o trono precisaria de um rei ao seu lado.
Eadlyn disse não milhares de vezes, eles não podiam colocá-la como uma atração, não era justo, ela não queria casar. Mas no fim percebeu que era a única saída para seus pais. Aceitou realizar a seleção, porém com uma condição, apenas três meses e nada mais e nada menos! Daria tempo o suficiente para seus pais se organizarem e estava mais do que decidida de que não encontraria nenhum pretendente, afinal não queria ninguém ao seu lado.
" -Por isso o amor era uma ideia terrível: ele enfraquece as pessoas."
Quando finalmente os 35 candidatos entraram no castelo, Eadlyn estava disposta a dispensá-los o mais rápido possível e percebeu que três meses levaria muito tempo.
Estava aturando isso por seus pais, mas será que não seria capaz de deixar o orgulho um pouco de lado e tentar alguma coisa? Afinal, não era apenas seu coração que estava em jogo.

Quem adorou a Eadlyn levanta mão (cri cri cri). Preciso confessar, que personagem mais mimada e metida hein? Desculpa começar assim, mas estava engasgado.
Apesar da America ter mudado muito seu comportamento, por questão de ser rainha, Eadlyn não é nada parecida com a mãe e muito menos com o pai. Tudo bem que ela cresceu em um castelo, Maxon também cresceu e não é tão irritável como a filha. Eadlyn gosta de ser o centro das atenções, vive de nariz empinado, as coisas tem que ser do seu jeito e se a acha a última bolacha do pacote. Porém, ao decorrer do livro, percebo que sua atitudes vão mudando aos poucos. Entendo que não deve ser nada fácil participar de uma seleção, mas no começo ela trata tão mal os garotos que eu tenho muita pena deles. Ela não se preocupa, evita contato e vai eliminando somente pela aparência. Não Eadlyn, não é assim que as coisas funcionam. Afinal ela só quer que os três meses passem voando.
O livro é viciante, como todos os outros. Tem bastante ação e devorei página por página. No decorrer da história, ela começa a participar mais da vida dos meninos, isso somente por que seus pais precisam que ela faça sua parte e por que vivem em cima dela. Faça um encontro a sós (sempre com câmeras), elabore o dia com os garotos, faça festas, etc. Eles precisam de foco nesta Seleção e Eadlyn começa a entender realmente e começa a agir de forma mais correta, porém não tanto. (EU JÁ TENHO O MEU PREFERIDO!!!!) ~segredo. Não considero A Herdeira como o quarto livro, pois o foco não é mais em Maxon e America e sim na gêmea mais velha, é uma nova história e uma nova Seleção. Acredito que dê para ler ele independente, não irá fazer tanta confusão caso não tenha lido os três primeiros.
Não tenho nem palavras para descrever o final, que me deixou de queixo caído e estou querendo muito o último A Coroa. Kiera como sempre deixou um mega mistério, como se fosse uma cena de TWD, que acaba ali no meio daquela bagunça e caos, exatamente assim.
A capa foi a mais linda, a diagramação é no mesmo estilo dos demais livros, simples, folhas amareladas e letras pequenas.
E vocês? Já leram? O que tem a me dizer sobre a Eadlyn?
Para embarcar na leitura

Um Comentário

  1. Ainda não li esse, parei na trilogia A seleção
    Adorei conhecer seu blog e estou te seguindo.
    Se quiser conhecer o meu e retribuir, ficarei feliz. Bjos
    Isis - minhaestantecolorida.blogspot.com.br

    ResponderExcluir